Responsive Ad Slot

Às vésperas de votação, aliados de Temer fingem não ver denúncia na denúncia

Publicado 01/08/2017

/ Por: redacao@noticiasdealagoinhas.com.br

Foto: Lula Marques / Agência PT
Como esperado, os aliados do presidente da República, Michel Temer (PMDB), insistem na tese de que não há qualquer sustentação na denúncia contra ele feita pela Procuradoria-Geral da República (PGR). Temer foi flagrado em uma gravação com o empresário Joesley Batista em que, supostamente, concordava com o silêncio do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

Depois de negar em um primeiro momento a autenticidade do conteúdo, foi obrigado por perícia da Polícia Federal a mudar de estratégia: Joesley se tornou um falastrão e Temer, um coitado. É o que avaliam os parlamentares ligados a ele e que apreciam nesta quarta-feira (2) a denúncia contra Temer no plenário da Câmara. De passagem por Salvador, o ministro da Secretaria de Governo, o baiano Antônio Imbassahy (PSDB), sintetizou o que pensam os companheiros do Legislativo – para onde ele deve voltar apenas para votar a favor do chefe do Executivo, que é também seu chefe.

Ao Bahia Notícias, Imbassahy disse que a denúncia contra o presidente é “vazia”. O tucano adota a estratégia do companheiro que nega a existência da marca de batom na cueca para rejeitar que esteja traindo a companheira (ou companheiro). Aliado tanto quanto Imbassahy, Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) também seguiu a cartilha esperada: afirmou que nenhum dos 222 mil votos que teve na eleição de 2014 pediu “Fora Temer” nas andanças dele pelo interior da Bahia.

Enquanto isso, um levantamento do Ibope mostrou que 81% dos brasileiros são favoráveis à investigação da denúncia contra o presidente da República. E esses dois deputados citados são apenas exemplos da lógica inversa dos representantes do povo no Congresso Nacional: às favas a expectativa de um povo frente aos interesses de um grupo que está no poder. Algo muito próximo a um “Vale a pena ver de novo” do processo de impeachment de Dilma Rousseff em 2016.

Com a diferença que parte dos atores que defendiam a petista agora estão do lado oposto; e os que, na época, acreditavam na denúncia que não era denúncia pediram a cabeça da presidente para que Temer assumisse. Este trecho integra o comentário desta terça-feira (1º) para a RBN Digital, veiculado às 7h e reprisado às 12h30, e para as rádios Irecê Líder FM e Clube FM.

Do BN
"Siga o Notícias de Alagoinhas no Twitter, curta nossa fanpage no Facebook, e fique atualizado com as principais notícias. Quer anunciar sua empresa? Clique aqui"

© Direitos reservados, Portal Notícias de Alagoinhas