Responsive Ad Slot

Cunha acusa Fachin de obstruir julgamento de habeas corpus

Publicado 28/08/2017

/ Por: redacao@noticiasdealagoinhas.com.br

 Reuters
O ex-deputado Eduardo Cunha acusou, em carta, o relator da Lava Jato no STF (Supremo Tribunal Federal), Edson Fachin, de obstruir pedidos de liberdade, através do habeas corpus, e beneficiar executivos da JBS.

De acordo com a Folha de S. Paulo, Cunha disse em nota escrita dentro do complexo penal em que se encontra, que Fachin concedeu "assistência célere e eficiente" aos donos da JBS, Joesley Batista e Ricardo Saud, "que em apenas três dias conseguiram homologar um acordo vergonhoso, onde ficaram livres, impunes e ricos".

O ex-deputado também afirmou que os donos da JBS pediram ajuda para aprovar o nome de Fachin para o STF, ainda em 2015, e que disseram manter "relação de amizade" com o então candidato.

"Quando Joesley Batista e Ricardo Saud me procuraram para ajudar na aprovação [de] Fachin, além da relação de amizade que declararam ter com ele, me passaram a convicção de que o país iria ganhar com a atuação de um ministro que daria a assistência jurisdicional de que a sociedade necessitava."

Cunha também alega que Fachin concedeu "assistência célere e eficiente" aos donos da JBS, "que em apenas três dias conseguiram homologar um acordo vergonhoso, onde ficaram livres, impunes e ricos".

Fachin diz que não contou "com o auxílio de qualquer empresa ou grupo em seu processo de indicação" e que "qualquer insinuação neste sentido é inaceitável". A JBS não comentou as declarações de Cunha que ligam o grupo ao ministro.

A postura de Cunha tem sido de ataque, depois de ver frustrada sua tentativa de fechar um acordo de delação premiada, segundo pessoas próximas ao ex-deputado.

Do N ao Minuto
"Siga o Notícias de Alagoinhas no Twitter, curta nossa fanpage no Facebook, e fique atualizado com as principais notícias. Quer anunciar sua empresa? Clique aqui"

© Direitos reservados, Portal Notícias de Alagoinhas