Responsive Ad Slot

Contracepção: 83% dos homens de Salvador já fizeram sexo sem camisinha, aponta pesquisa

Publicado 27/09/2017

/ Por: redacao@noticiasdealagoinhas.com.br

Foto: Getty Images
Uma pesquisa nacional apontou que 76% da população masculina de Salvador acredita que a responsabilidade de contracepção é do casal.  No entanto, 83% admitiram já ter feito sexo sem o uso de nenhum método. O número é maior do que o observado nacionalmente: 73% dos brasileiros afirmaram que já tiveram relações sexuais sem utilizar métodos contraceptivos.

Os dados, divulgado nesta terça-feira (26), são de um estudo desenvolvido pela Bayer, com o apoio do Departamento de Ginecologia da Escola Paulista de Medicina da Escola Paulista de Medicina da Unifesp. Foram ouvidos 2 mil homens de 15 a 25 anos em 9 capitais brasileiras, além de Salvador: Belém, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Goiânia, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo.

O motivo mais indicado pelos soteropolitanos para não usar métodos contraceptivos foi “não estragar a diversão” (24%), seguido da ausência de algum método no momento (13%). Esses preocupantes dados levam à discussão sobre gravidez indesejada e a importância da educação sexual. De acordo com pesquisa publicada em 2016 pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), entre as mulheres que tiveram filhos no Brasil, 55,4% não planejaram a gestação.

Para a educadora sexual Laura Muller, a educação sexual é fundamental e deve ser inserida antes mesmo da pré-adolescência, respeitando cada fase do desenvolvimento. “O papel dos pais é tão importante quanto o papel das escolas”, avaliou a educadora sexual Laura Muller. “É preciso falar principalmente de quatro eixos: gravidez fora de hora, doenças sexualmente transmissíveis, a prática do sexo em si e a diversidade sexual”, orientou.

Foto: Getty Images
No entanto, os pais e a escola não são as fontes da maioria dos homens quando o assunto é sexo. Segundo dados da pesquisa, 23% dos soteropolitanos aprenderam o que sabem sobre o tema na internet e 19% com amigos. “O problema da internet é a fonte”, ponderou o ginecologista e mastologista da Unifesp Afonso Nazário, durante apresentação dos dados. Quando surgem dúvidas, a internet é a grande professora: 69% dos homens recorrem a esse meio.

Em Salvador, uma informação específica chama atenção em comparação aos dados nacionais. A primeira experiência sexual de 22% dos homens da capital baiana aconteceu antes dos 13 anos, contra 10% no total dos dados nacionais. Essa é mais uma prova de que é necessário que os pais tomem a responsabilidade para si, como afirmou Laura. “Os pais terem uma atitude de busca de informação e o campo aberto para o diálogo já é um grande caminho”, afirmou.

Do BN
"Siga o Notícias de Alagoinhas no Twitter, curta nossa fanpage no Facebook, e fique atualizado com as principais notícias. Quer anunciar sua empresa? Clique aqui"

© Direitos reservados, Portal Notícias de Alagoinhas