Responsive Ad Slot

Jovens de Muritiba são presos acusados de roubarem baterias das torres de telefonia em Santo Estêvão

Publicado 14/09/2017

/ Por: redacao@noticiasdealagoinhas.com.br

Foto / Polícias Civil e Militar
Três homens foram presos na manhã desta quinta-feira (14), em Santo Estevão, no recôncavo baiano, acusados de envolvimento no furto a baterias estacionárias usadas em torres de telecomunicações das operadoras Oi, Claro, Vivo e Tim na Bahia. Segundo a polícia, existe um grupo especializado nesse tipo de crime, que agia principalmente em Salvador, porém com o cerco da polícia, eles começaram recrutar jovens para agir em cidades do interior.

Ainda de acordo com a polícia, para efetuarem os furtos, os indivíduos utilizaram um veículo modelo Fox, aprendido junto com os suspeitos. Tassio Oliveira Tosta, 25 anos, Alan Cássio Barreto de Souza, 30 anos e Breno de Souza da Silva, 19 anos, são residentes de Muritiba, foram presos em flagrantes pela Policia Militar após denúncia anônima.

Os acusados estão presos na delegacia local à disposição da Justiça. Com o trio foram apreendidas baterias estacionárias, cabos de cobre utilizados na ligação dos aparelhos. A Polícia explicou que as baterias ficam nas torres das operadoras para auxiliar em caso de falta de energia elétrica, para que o serviço continue funcionando e a comunidade não fique sem o sinal.


A Polícia Civil informou ainda que esse é um material caro e as operadoras tiveram bastante prejuízo no mês passado na Bahia, chegando a mais de R$ 1 milhão de reais. Em contato com a Voz da Bahia um técnico especializado em equipamentos de telefonia móvel, informou que o furto desse material é perigoso, pois ele é tóxico e também tem a questão da voltagem na hora de desativar a ligação elétrica. A Polícia investiga a ligação da quadrilha com outras que atuam dentro da modalidade.

Do V da Bahia
"Siga o Notícias de Alagoinhas no Twitter, curta nossa fanpage no Facebook, e fique atualizado com as principais notícias. Quer anunciar sua empresa? Clique aqui"

© Direitos reservados, Portal Notícias de Alagoinhas