Responsive Ad Slot

Número de vítimas de furacão Maria em Porto Rico chega a 48

Publicado 14/10/2017

/ Por: redacao@noticiasdealagoinhas.com.br

Foto Divulgação 
Autoridades de Porto Rico informaram neste sábado (14) que o número de mortos após a passagem do furação Maria chega a 48, três a mais do que o reportado no último comunicado. De acordo com o secretário de Segurança Pública do governo local, Hector Pesquera, relatórios médicos apontaram que o furacão foi o fator decisivo para a morte das três vítimas. Uma delas não pode realizar tratamento de diálise na cidade de Caguas, por causa da falta de energia elétrica provocada pela passagem do furação.

As outras duas mortes ocorreram porque as vítimas, uma com um problema respiratório não revelado e outra que sofreu um ataque cardíaco, não puderam receber tratamento em unidades médicas. Detalhes mais precisos dos casos não foram revelados pelo porta-voz. O furação Maria, de categoria 4, atingiu a ilha de Porto Rico, um território dos Estados Unidos, no dia 20 de setembro. O governo local afirma que 85% da ilha permanece sem energia elétrica.

O governador de Porto Rico, Ricardo Rossello, afirmou que está buscando ajuda para restabelecer o fornecimento de energia elétrica. A perspectiva é de que até 15 de novembro metade da ilha conte com o serviço. A disponibilização de eletricidade para 95% da ilha só deve ocorrer em 31 de dezembro, segundo Rossello, que admitiu que o desafio de reconstruir a rede de transmissão e distribuição de energia local é enorme.

Na quinta-feira (12), a Câmara dos Deputados dos Estados Unidos aprovou US$ 36,5 bilhões para ajudar regiões devastadas pela passagem de furacões, dos quais quase US$ 5 bilhões poderão ser usados para manter o funcionamento do governo central e dos regionais de Porto Rico, que estão sem dinheiro após a passagem do furacão.

Fonte: Associated Press.
"Siga o Notícias de Alagoinhas no Twitter, curta nossa fanpage no Facebook, e fique atualizado com as principais notícias. Quer anunciar sua empresa? Clique aqui"

© Direitos reservados, Portal Notícias de Alagoinhas