Responsive Ad Slot

‘LIBERTADORES? Z4?’: Dupla Ba-Vi vai do céu ao inferno nesta reta final da Série A; Veja números

Publicado 07/11/2017

/ Por: redacao@noticiasdealagoinhas.com.br

Foto: Adilton Venegeroles / AG. A Tarde
A contagem regressiva começou. Faltam apenas seis rodadas para o término da Série A do Campeonato Brasileiro 2017, e a dupla Ba-Vi vive momentos distintos. Se, por um lado, o torcedor do Bahia está ‘tranquilo’, ri à toa e, inclusive, sonha com a chance de vaga na Libertadores após as 32 rodadas já disputadas, do outro, os rubro-negros se mantêm apreensivos e um tanto quanto desesperados.

E não é por menos… Afinal, com 35 pontos, o Vitória não só flerta, mas conserva a ‘união’ com a Zona de Rebaixamento do certame nacional. O Leão é o atual 17º colocado, enquanto o time azul, vermelho e branco, com 42, é o décimo.

Mas há mesmo motivo para tamanho desespero?

Em partes. Pelo menos assim ‘dizem’ os números. Pois é… Nos cálculos do Departamento de matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o Vitória tem menos chance de ser rebaixado que outras quatro equipes. Ou seja, seria salvo pela incompetência dos outros adversários.

A UFMG calcula, por exemplo, o Vitória com 57,5% de probabilidade de queda para a Série B neste momento. O índice é menor que o atribuído ao Sport (58,2%), ao Avaí (78,2%), à Ponte Preta (73,7%) – todos à frente do Leão na classificação – e ao lanterna Atlético Goianiense (99,43%), este virtualmente rebaixado.

No entanto, tal cenário se transforma ao ser analisado pelo também site de estatísticas Chance de Gol. Este, por sua vez, atribui nada menos que 63,8 % de chances de queda do Leão. Pior: o rubro-negro seria o quarto – e não o quinto clube – com mais possibilidade de degola. O time do técnico Wagner Mancini só ficaria à frente de Atlético-GO (99,8%), Avaí (93%) e Ponte Preta (64,7%), respectivamente, 20º, 19º e 18º.

“Mamão com açúcar”

Para deixar o Z-4 e se afastar do fantasma do rebaixamento, o Vitória precisa ‘exorcizar’ outra assombração. O time ostenta nada menos que o status de pior mandante do certame nacional. Em 16 jogos realizados, perdeu dez, empatou quatro e venceu apenas dois. Resultado: 20,83% de aproveitamento. O último triunfo, por sinal, foi no já distante dia 2 de agosto.

Neilton já marcou sete gols e deu sete assistências. Apesar do bom desempenho pessoal, o time não mostra o mesmo em campo
Na ocasião, o time vermelho e preto superou a Ponte Preta por 3 a 1. Desde então, já se passaram 2.351 horas ou, melhor dizendo, 98 dias. O jejum em casa impacta diretamente não só na pífia campanha do clube na Série A, mas, fez também com que os rivais criassem uma nova alcunha: o time “mamão com açúcar”.

A expressão, muito conhecida para se referir a coisas fáceis de realizar, virou motivo de gozações direcionadas ao Esporte Clube Vitória. Torcedores do Bahia passaram a utilizá-la contra o rubro-negro desde que o famoso locutor esportivo de Salvador, Sílvio Mendes, incrementou o dito popular, quando narrava um dos inúmeros insucessos do Leão, neste ano, dentro do Manoel Barradas.

Nesta quarta-feira (8/11), a partir das 20h45, o time do técnico Wagner Mancini tem mais uma oportunidade de atenuar tamanho sofrimento vivido pela apaixonada nação vermelha e preta. A tarefa, ao que tudo indica, não será nada fácil. Afinal, o time encara o Palmeiras, quarto colocado, com 54 pontos. Porém, se depender do discurso otimista do Presidente em exercício do Vitória, Agenor Gordilho, o triunfo já pode ser contabilizado com a presença em ‘peso’ da torcida.

“Vou trocar uma ideia com meus pares. Com certeza deve ter [promoção de ingressos]. O sócio vai poder levar um acompanhante de graça. Isso é uma decisão minha. Precisamos incentivar quem se associa ao clube. O clube precisa de sócios. Quanto maior o número de sócios, melhor para o clube. É uma receita firme e segura. Todo sócio terá direito a levar seu convidado para o jogo de quarta. E vamos atropelar o Palmeiras dentro de casa. Essa é minha esperança, minha fé. Quero gente de boa energia para torcer pelo Vitória e vibrar pelo Vitória”, disse Gordilho.

O presidente foi além e enalteceu, ainda, o empate diante do Vasco, no último domingo (5/11). “O empate tem um saborzinho de vitória. Saímos atrás, lutamos, brigamos. Os jogadores estão felizes no vestiário. Deram conta do recado. Realmente queremos tirar esse time dessa situação que pegamos”, falou o cartola, em clara referência ao desempenho dos jogadores fora dos gramados baianos. O Vitória é nada menos que o quarto melhor visitante. Ironicamente, em 16 partidas disputadas, venceu sete, empatou quatro e perdeu cinco. Totalizando 52,8% de aproveitamento.

Libertadores

No Bahia, o tema rebaixamento praticamente deixou de ser pauta. Pois, segundo dados do Chance de Gol e UFMG, o Tricolor tem míseros 0,7% e 1,4% de chances de queda, respectivamente. O otimismo é tamanho com os recentes resultados, que após o triunfo sobre a Ponte Preta, no último domingo (5/11), jogadores e comissão técnica empolgados vislumbram uma vaga na Taça Libertadores 2018.

Foto: Reprodução
Autor de um dos dois gols da partida, o colombiano Mendoza foi o primeiro a endossar o coro. “Sempre que respondo sobre isso, digo sobre a qualidade do nosso time. O nosso grupo é muito bom. Ganhamos um jogo, e precisamos seguir firmes assim para chegar, quem sabe, em uma Libertadores. É preciso continuar vencendo, antes de tudo”, declarou.

Matematicamente, a chance, de fato, existe. Pequena, bem verdade, porém real. O Chance de Gol debita ao Tricolor de Aço, por exemplo, 3.8 % de o clube carimbar o passaporte para o torneio continental. Já os matemáticos da Universidade Federal de Minas Gerais são mais positivos e cravam 5,6%.

Para o técnico Paulo Cesar Carpegiani, apesar de pequena, é preciso, sim, acreditar na possibilidade. “Sei que eles [os jogadores] não estão medindo esforços e estamos fazendo pontos necessários para olhar para a frente. A partir de agora podemos sonhar com algo melhor lá na frente (vaga na Libertadores). Temos que fazer o dever de casa e, fora, vamos jogar para ganhar”, ressaltou.

Uma boa oportunidade para melhorar o reles retrospecto fora de casa – com apenas dois triunfos e 25% de aproveitamento -, será nesta quarta-feira (8/11), quando o Bahia encara o Avaí, às 18h30, no estádio da Ressacada. Vencendo, o esquadrão de aço chega bem próximo ao número mágico de 47 pontos. Este é, segundo o  matemático Tristão Garcia, a “pontuação de corte” para garantir a fuga do rebaixamento.

Apesar do “número mágico” que pode salvar os times de disputar a Série B de 2018, Tristão não exclui a possibilidade de uma pontuação mais baixa conseguir livrar um clube de uma queda. “Esses 47 pontos garantem. Com 46, é bem provável que escape, mas não é garantido. E com 45 pontos já precisa de um pouco de sorte. Não quer dizer que não vai acontecer, mas tem muito time disputando essas vagas e existem muitos confrontos diretos. Então, realmente é arriscado, faltando seis rodadas, assumir uma pontuação menor que essa”, concluiu.

Aratu
"Siga o Notícias de Alagoinhas no Twitter, curta nossa fanpage no Facebook, e fique atualizado com as principais notícias. Quer anunciar sua empresa? Clique aqui"

© Direitos reservados, Portal Notícias de Alagoinhas