Famílias ainda não foram totalmente indenizadas após acidente da Chape

© Reuters
Os familiares das vítimas do voo da LaMia ainda não foram indenizados e não há perspectivas de que isso ocorra a curto prazo. Os problemas são vários. A começar pela seguradora boliviana, a Bisa. Ela se recusa a pagar as indenizações - total de US$ 25 milhões, ou R$ 80 milhões -, sob a alegação de que o acidente ocorreu por erro do piloto Miguel Quiroga, um dos mortos.

A Bisa propôs pagar US$ 200 mil (R$ 646 mil) a cada família se pelo menos 51 delas concordassem em desistir de qualquer ação judicial. Não houve acordo. O fato de a investigação envolver três países, que têm legislação distinta, também é complicador na luta pela indenização. E a Colômbia ainda não divulgou o relatório final sobre a queda do avião - a expectativa é de que isso aconteça ainda este ano.

Em outubro, o Ministério Público Federal de Santa Catarina concluiu inquérito civil apontando que a Chapecoense não foi negligente nem imprudente ao contratar a LaMia. No entanto, os procuradores encontraram indícios que a LaMia pode não pertencer ao piloto Quiroga e a Marco Antonio Rocha, que está foragido, como consta no registros.

Documentos apontaram que a venezuelana Loredana Albacete participou do fretamento do avião e receberia em uma conta em Hong Kong os US$ 140 mil do serviço.

Loredana Albacete, que aparece como proprietária, é filha do ex-senador Ricardo Albacete. Ele era dono do avião que caiu e declarou que apenas o arrendou à Lâmia. A descoberta pode mudar os rumos dos processos que requerem as indenizações.

Até agora, os familiares receberam o seguro do clube (14 vezes o salário), o da CBF (12 vezes) e valores de rateios de doação e de renda de alguns amistosos da Chapecoense pelo Brasil e no exterior.

Com informações do Estadão Conteúdo.
Famílias ainda não foram totalmente indenizadas após acidente da Chape Famílias ainda não foram totalmente indenizadas após acidente da Chape Reviewed by Portal Notícias de Alagoinhas on novembro 26, 2017 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.