Polícia identifica dois suspeitos de assalto a terreiro e Barra do Pojuca; Babalorixá critica descaso

Foto: Reprodução
Nesta segunda-feira (14), a Polícia Civil identificou dois homens suspeitos de participar do assalto ao Terreiro Ilê Axé Ojisé Olodumare no último sábado (12). Seis homens, pelo menos dois armados, invadiram o local, que fica na localidade de Barra do Pojuca, em Camaçari, Região Metropolitana de Salvador, roubaram celulares e deram uma coronhada no babalorixá Rychelmy Imbiriba.

As investigações estão sendo realizadas pela 33ª Delegacia Territorial (DT) de Monte Gordo. A Polícia Civil também afirmou que "não há indicativo que relacione a ação criminosa a intolerância religiosa cometida por bandidos". Durante a ação, além da agressão física, os bandidos também profanaram a fé do candomblé. 

Dentre as falas dos bandidos, que deixaram os presentes revoltados, estavam: “Vamos bater nesses macumbeiros”; “Vocês nem deveriam praticar essa macumba aqui”; “Isso não existe, manda ele (orixá) parar”, dentre outros.

Apesar de entidades especializadas e ligadas à religião e ao culto da ancestralidade afrodescendente afirmarem e reivindicarem, a Polícia Civil não investiga o caso como intolerância religiosa.

O babalorixá do terreiro, Rychelmy Imbirida, afirmou ao jornal Correio que ainda está abalado com o que viu. “Eles colocaram as armas nas cabeças dos orixás. Para nós, é um momento sagrado, quando as pessoas estão incorporadas. Quando vi aquilo, um deles balançando o orixá, fiquei apavorado”, relatou

Nesta segunda-feira (14), inclusive, o babalorixá Rychelmy Imbirida e outros religiosos estiveram na Secretaria de Promoção de Igualdade Racial (Sepromi), que está à frente da Rede de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa do Estado, que vai apurar o caso. Ele também foi à Delegacia de Monte Gordo para acrescentar à ocorrência policial a intolerância religiosa sofrida pelos membros do terreiro.

Para a coordenadora do Centro de Referência de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa Nelson Mandela, Nairobi Aguiar, o episódio não pode ser enquadrado apenas como um assalto. Até porque, os bandidos gritaram palavras de ódio ao Candomblé durante a ação. Algumas das frases foram: “Vamos bater nesses macumbeiros”; “Vocês nem deveriam praticar essa macumba aqui”; “Isso não existe, manda ele (orixá) parar”. 

Do Radar da Bahia
Polícia identifica dois suspeitos de assalto a terreiro e Barra do Pojuca; Babalorixá critica descaso Polícia identifica dois suspeitos de assalto a terreiro e Barra do Pojuca; Babalorixá critica descaso Reviewed by Portal NA on janeiro 15, 2019 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.