Brumadinho pode ter surto de doenças infecciosas, diz Fiocruz

Foto Reprodução 
Em estudo publicado nesta terça (5), a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) concluiu que a população afetada pelo rompimento da barragem em Brumadinho corre risco de surto de doenças como febre amarela, dengue, esquistossomose e leptospirose — além do agravamento de doenças respiratórias, problemas de hipertensão e transtornos mentais como depressão e ansiedade.  

O pesquisador Carlos Machado de Freitas, um dos responsáveis pelo levantamento, destacou o risco de aumento das doenças transmitidas por mosquitos vetores, como a dengue e febre amarela. "No caso de Barra Longa (MG) [cidade vizinha ao local do rompimento da barragem da Samarco, em 2015] depois de Mariana, houve um aumento expressivo de mais de 3.000% de casos de dengue. A área de Brumadinho foi uma área de transmissão de febre amarela", pontuou.

Também há risco de problemas respiratórios e de pele, principalmente a partir do momento em que a lama começar a secar — porque ela se transforma em poeira e a população passa a ter contato com ela. Esses efeitos podem começar a ser sentidos já nas próximas semanas, mas alguns serão vistos apenas a longo prazo — como, por exemplo, a contaminação por chumbo, cádmio e mercúrio, que já foram identificados na lama. 

As consequências do rompimento podem, também, "se estender por centenas de quilômetros do local de origem", de acordo com os autores. A população pode, ainda, ser afetada por problemas ligados à contaminação da água do rio Paraopeba, afirmou Freitas. Outras doenças transmitidas pelo contato com água contaminada, como esquistossomose e leptospirose, também podem ter aumento no número de casos, segundo o estudo divulgado na terça (5).

Do Bahia no Ar
Brumadinho pode ter surto de doenças infecciosas, diz Fiocruz Brumadinho pode ter surto de doenças infecciosas, diz Fiocruz Reviewed by Portal Notícias de Alagoinhas on fevereiro 05, 2019 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.