Foto: reprodução/Youtube
A mulher que teria encomendado o bebê arrancado da barriga da mãe por uma adolescente de 13 anos foi presa na tarde da última quarta-feira (23/10). Cátia Barros Rabello, 34 anos, foi encontrada por policiais civis da Delegacia de Homicídios de Porto Velho.

O crime aconteceu na sexta-feira (20/10) em uma zona de extração de argila. A suspeita assassinou a irmã gestante de oito meses, Fabiana Pires Santana, e o filho dela, Gustavo Henrique Pires, de 7 anos.

Cátia tentou fugir, mas foi rendida e capturada. No depoimento, que durou cerca de cinco horas, ela confessou que estava simulando uma gestação e tinha objetivo de ficar com o filho de Fabiana. Além disso, declarou que já tinha escolhido um nome para o bebê. A suspeita ainda informou que o filho dela, a assassina e os outros adolescentes envolvidos no crime cresceram juntos.

Os homicídios, pontuou ainda a mulher, foram planejados dentro da casa onde ela morava pela irmã da vítima. No local, os objetos usados para as execuções foram providenciados. Quatro jovens de 12, 13, 14, e 15 anos, envolvidos no caso, tiveram a internação autorizada. Eles foram encaminhados para a Unidade de Internação Provisória, onde ficaram à disposição da Justiça.

Cátia alegou que a sua participação no crime foi entregar luvas que foram usadas pelos adolescentes para retirar o bebê do ventre materno. O filho dela já havia confessado que pegou o bebê após o homicídio e entregou aos cuidados da suspeita.

A mulher levou recém-nascido para o namorado dela e apresentou como filho do casal. O garimpeiro duvidou da paternidade da criança e pediu para ela voltar para casa com o bebê. Ao ser questionada pela delegada responsável pelo caso, Leisaloma Carvalho, sobre o golpe que pretendia aplicar no garimpeiro ela se negou a se pronunciar.

Do Aratu On