Foto: reprodução/Facebook
A organização internacional cristã Good Books for All Ships (GBA Ships), responsável pelo navio Logos Hope, considerado a maior livraria flutuante do mundo, terá que explicar a publicação em que classifica Salvador como a cidade que "crê em demônios".

O Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), por meio da promotora Lívia Vaz, anunciou nesta sexta-feira (25/10) que vai investigar a discriminação religiosa por parte do grupo.

A decisão aconteceu porque, antes de atracar na capital baiana, a organização pediu "para que os seguidores rezem pelo sucesso da viagem e "pela proteção, força e sabedoria para os membros da equipe durante a estadia do navio em Salvador - uma cidade conhecida pela crença do povo em espíritos e demônios".

"O Ministério Público do Estado da Bahia, através da Promotoria de Justiça e Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa, tomou conhecimento, na data de hoje [sexta, 25], de mensagens de cunho discriminatório, emitido pela Logos Hope - Livraria Flutuante.

Foi instaurado o devido procedimento e a organização do navio foi notificada com recomendação para retirada da mensagem das redes sociais, bem como para prestar esclarecimentos no prazo de três dias", diz o documento emitido pela promotoria.

Do Aratu On