Foto: Reprodução
Expoente da nova geração do funk e indicado ao Grammy Latino de 2019, o DJ Renan da Penha está “muito esperançoso” de que a Justiça o libertará após o STF barrar prisões em segunda instância, disse o seu advogado Allan Caetano Ramos. A defesa deverá pedir a soltura do artista, que está preso desde abril acusado de associação com o tráfico de drogas.

O advogado de Renan nega o envolvimento dele com o tráfico. Personalidades como a atriz Leandra Leal e o deputado Ivan Valente celebraram a possibilidade de soltura nesta sexta-feira (8) e fizeram com que o tema se tornasse um dos assuntos mais comentados no Twitter.

CASO RAFAEL BRAGA

Outro nome citado nas redes sociais também foi o de Rafael Braga, catador de latas preso durante as manifestações de 2013. Ele foi acusado de portar material explosivo ao ter em sua posse uma garrafa de desinfetante. Rafael é acusado de ter sido pego carregando 0,6 g de maconha e 9,3 g de cocaína, em 2016.

O caso de Braga, porém, não entra na decisão do Supremo. “Ele está em prisão domiciliar para um tratamento de tuberculose. Quando foi esgotado o seu julgamento em 2ª instância, não foi pedida prisão para execução provisória da pena”, diz Carlos Eduardo Martins, que defende Braga.

A defesa de Rafael afirma que ele foi vítima de um flagrante forjado. As duas prisões, tanto a de Renan quanto a de Rafael Braga, são questionadas por artistas e pessoas ligadas à defesa dos direitos humanos.

Do  BN