Foto: Reprodução
A virada de ano para Kátia Moura, 37 anos, não foi como ela desejava. Apesar do pedido de muita paz para ela e os cinco filhos, na madrugada do primeiro dia do ano a dona de casa foi vítima de tentativa de feminicídio pelo ex-companheiro além de ter a casa incendida. O fato ocorreu na rua Eduardo Pinto, em Arembepe, região de Camaçari.

Segundo a vítima, após conversar com o ex-companheiro, identificado como Anadilson Souza Santos, 42 anos, na tentativa de convencê-lo a deixar a casa, a sessão de espancamento começou. Ele a agrediu com socos e ponta pés. Kátia, conforme relato, caiu no chão e ele continuou a agressão. A dona de casa conseguiu se desvencilhar do agressor e fugiu da casa com os cinco filhos. Uma das crianças também foi agredida durante a pancadaria.

Kátia tinha nas mãos uma medida protetiva que obrigada Anadilson a manter distância dela por agressão verbal. “Já tinha registrado queixa na delegacia, mas ele até então só me xingava, bater foi a primeira vez. Ele não se conformava em eu querer viver sem ele”, conta.

A vítima tentou registrar uma queixa de agressão, mas o posto de polícia da localidade estava fechado. Ela voltou com os filhos para residência e encontrou o agressor, no caminho, segurando uma mochila, alguns pertences dele e uma bicicleta. Não satisfeito, Anadilson ainda tentou agredi-la novamente, mas foi impedido por populares. " Ele ainda me pegou e tentou  bater novamente, mas os vizinhos impediram", revela.

O que a dona de casa ainda não sabia é que além de tentar espancá-la novamente, Anadilson tinha colocado fogo na casa na qual ele morava de aluguel com Kátia há seis anos.

Ao chegar na residência, ela encontrou os vizinhos na tentativa de apagar as chamas com baldes e mangueiras. Sem êxito, acionaram os bombeiros, mas as chamas consumiram todos os eletromésticos, móveis e parte da estrutura da casa.

Kátia relata que convive com o medo do agressor retornar. “Estou com meus filhos, na casa de uma vizinha. Perdi tudo. Fui agredida e apesar de registrar queixa na delegacia de Vila de Abrantes. Ele [Anaildilson] continua solto. Estou com medo dele voltar e fazer algo pior”, revela.

*BNEWS