Foto: Reprodução
Após o ministro da Economia, Paulo Guedes, comparar os funcionários públicos a parasitas, que querem reajustes automáticos, diversas entidades ligadas aos servidores, criticaram as palavras de Guedes.

A Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federa (Unafisco) e o Sindicato Nacional do IGBE, repudiaram a declaração do ministro, por meio de nota.  O Sindicato do IBGE se resumiu a dizer que o uso da palavra parasita é “um ataque a todo o serviço público”

"A Unafisco rechaça com toda veemência e indignação tal classificação rasa e generalizada, porque os auditores fiscais da Receita Federal exercem com orgulho e lisura suas atribuições sempre buscando a justiça fiscal e a proteção da economia nacional , seja na fiscalização e arrecadação dos tributos internos, seja na fiscalização do fluxo de nosso comércio internacional e de nossas fronteiras” diz a declaração da Unafisco.

Em comunicado o ministério da Economia alegou que a fala de Guedes foi “tirada de contexto e que o foco do discurso, que era a reforma administrativa foi completamente desviado”.