Foto: Reprodução
O  estado do Amapá registrou neste domingo (12) a terceira morte por Covid-19. Por determinação das autoridades de saúde, não foi possível realizar velório do motorista Moacyr Silva, de 56 anos. Com isso, o caixão tinha que sair do hospital direto para o cemitério, mas um gesto de compaixão com a dor dos familiares chamou atenção. O carro que levava a urna funerária mudou o percurso para passar em frente à casa da mãe da vítima, uma senhora de 90 anos. 

Segundo informações do Uol, ao entrar na rua onde a mãe de Moacyr mora, o carro ligou a sirene e os vizinhos saíram das casas para aplaudir. O veículo parou em frente à casa da idosa, onde uma breve oração foi feita.

Por determinação da prefeitura de Macapá e do governo do Amapá, o corpo deve ser conduzido em caixão lacrado até o cemitério São Francisco, o mais distante do centro da cidade.

Moacyr Silva atuava como motorista na Polícia Federal (PF), em Macapá. Hipertenso, com apneia do sono e ex-fumante, era precavido contra o novo coronavírus em razão das comorbidades que poderiam complicar uma eventual infecção.

Antes de ser diagnosticado com a doença, Moacyr ficou oito dias acreditando estar com gripe. Após os sintomas se intensificarem, a esposa dele o levou ao médico por duas vezes, e na terceira, acabou sendo internado, em 2 de abril. Três dias depois, foi transferido para o Centro de Tratamento Intensivo da covid-19, em Macapá, onde morreu nas primeiras horas do amanhecer.

*BNews