Foto: Reprodução
O  presidente Jair Bolsonaro estuda vetar o auxílio emergencial de R$ 600 para manicures e pedicures, barbeiros, esteticistas, depiladores, maquiadores e demais profissionais da beleza. A informação é da colunista Monica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo.

Essas categorias foram incluídas no decreto de atividades essenciais, publicado nesta segunda-feira (11). Nos bastidores, a avaliação é que a mudança será uma retaliação a governadores e prefeitos que rejeitaram o cumprimento do decreto - a exemplo do governador da Bahia, Rui Costa, e do prefeito de Salvador, ACM Neto.

Mais cedo, Bolsonaro divulgou uma nota afirmando que os gestores locais estariam afrontando o "estado democrático de direito" ao descumprir o decreto.

*BNews