O telefone celular em que o ex-ministro Gustavo Bebianno registrou um ano e meio de conversas com Jair Bolsonaro retornou ao Brasil e está "muito bem guardado", segundo afirmou um amigo do ex-aliado do presidente, à coluna de Thaís Oyama, no UOL. Bebianno morreu em março deste ano, após um infarto.

O aparelho estava nos Estados Unidos, aos cuidados da irmã de Bebianno. Três meses antes de morrer, em entrevista à rádio Jovem Pan, o ex-aliado, que rompeu com o presidente, revelou ter guardado "um material, inclusive fora do Brasil" para o caso de algo lhe acontecer.

Segundo o amigo de Bebianno, depois de seu rompimento com Bolsonaro, o ex-ministro chegou a deletar o conteúdo do celular, "num acesso de raiva". Mais tarde, arrependeu-se e conseguiu restaurar os diálogos — a maioria em forma de áudio por Whatsapp.

Ainda segundo a coluna, uma pessoa que conhece o teor das conversas afirma não ter identificado nelas indícios de crimes, mas diz considerar que a revelação dos diálogos seria "destruidora" para o presidente, devido a "questões morais muito pesadas".

fonte o metro1