Foto: Reprodução
O  vídeo do corpo de um recém-nascido sendo preparado para o enterro ao lado de um container de lixo, vem chocando a população de Candeias, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), desde a última terça-feira (9). O registro foi feito pelo vereador Arnaldo Araújo (MDB) no Hospital Ouro Negro.

Em conversa com o BNews na tarde desta quarta (10), Araújo classificou a cena como "macabra". "Eu estava na Câmara e fui chamado por um preposto para verificar uma situação no hospital. Chegando lá me deparei com aquela cena. O portão estava aberto e eles (pai e avô da criança, e um agente da funerária) estavam preparando o corpo. O que me chamou atenção foi a maneira como estava sendo feito. Primeiro em cima do capô de um carro, depois no chão, tratando a criança como se fosse qualquer coisa. Eu achei aquilo um ritual macabro, uma brutalidade com um ser humano que chegou ao mundo e perdeu sua vida. Cabe a mim como representante legal da população ver e não me calar", disse.

No vídeo é possível ouvir o momento em que o agente da funerária diz que não pode arrumar o corpo na parte interna da unidade hospitalar “porque tem dois covid lá dentro”.

Segundo o vereador, o hospital tem a obrigação de disponibilizar um local adequado para que familiares não precisem passar por situações constrangedoras como aquela. Ainda de acordo com Araújo, depois do ocorrido "a prefeitura quer colocar a culpa na funerária" e prometeu levar o caso adiante. "A situação vai ser denunciada ao Ministério Público, aquilo não existe", ressaltou.


Em nota, a Secretaria de Saúde disse que abriu sindicância no hospital para apurar o ocorrido, e que não vai tolerar o descaso da equipe relacionada ao fato.

Confira a nota na íntegra:

A Prefeitura de Candeias recebeu com extrema indignação as imagens divulgadas nas redes sociais, onde o corpo de um natimorto está sendo preparado de forma indevida, por agentes funerários, no fundo do Hospital Ouro Negro. A secretária de Saúde, Soraia Cabral, tão logo tomou conhecimento do fato, abriu uma sindicância para apurar o ocorrido e identificar todos os envolvidos.

A Secretária informa que não vai tolerar o descaso da equipe relacionada ao fato, tendo determinado agora há pouco o afastamento imediato dos mesmos, até que se apure a responsabilidade, para a aplicação das medidas cabíveis, que podem resultar no desligamento dos envolvidos. A Prefeitura também notificou a empresa responsável pelo serviço funerário para se pronunciar sobre o procedimento do agente funerário.