Foto: Reprodução
Juarez Guerreiro de Jesus, 60 anos, morreu na noite da última quarta-feira (17/6), mas até o início da tarde desta quinta (18/6) os familiares dele esperavam algum órgão para retirar seu corpo de casa, que fica na Primeira Travessa das Pitangueiras, Fazenda Grande do Retiro, em Salvador.

"Me sinto ridículo com esse descaso público, porque se falar que é Covid-19, 'tá' tudo certo", disse um dos familiares, Valnei Rocha. O rapaz contou também que foi à sede da 9ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Pirajá) e, chegando lá, os policiais passaram o caso para o Departamento de Polícia Técnica (DPT). "DPT passou para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência [SAMU] e até agora nada", informou.

A família suspeita que Guerreiro tenha morrido de causas naturais.

CASOS PARECIDOS

Não é a primeira vez, nas últimas semanas, que um corpo espera horas para ser removido em Salvador. No último dia 4 de junho, Jucimelio dos Santos, 60 anos, foi vítima do coronavírus. Após o óbito ser atestado pelo SAMU, os familiares aguardaram mais de 24 horas pelo serviço.

No última terça-feira (16), Railda Poderoso, aparentemente de 50 anos, morreu de causas naturais. A mulher morava sozinha, sofria de diabetes e aparentava ser alcoólatra. O corpo esperou por mais de 12h para ser removido do local pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT).