Foto: Reprodução
Lucas Cézar dos Santos, um dos filhos da deputada federal Flordelis dos Santos de Souza, acusado de envolvimento na morte do pastor Anderson do Carmo, disse à Polícia Civil que a carta escrita por ele mudando a versão sobre o crime, foi idealizada pela mãe. Em depoimento, ele disse apenas copiou o texto dentro do Presídio Bandeira Stampa, no Complexo de Gericinó, Zona Oeste do Rio. O acusado diz que reconheceu a letra de Flordelis no texto original, e que o documento também estava assinado pela mãe.

Segundo informações publicadas pelo jornal Extra, na carta, Lucas assume a responsabilidade pela morte do pastor e isenta a participação do irmão, Flávio dos Santos Rodrigues, também preso pelo crime no presídio Bandeira Stampa. A carta havia chegado ao presídio através da mulher de um preso. “A carta veio pra mim na mão. Só copiei a carta. Foi minha mãe que mandou pra mim a carta da rua”, afirmou Lucas em seu depoimento.
Questionado sobre o porquê de ter assumido a responsabilidade do crime, Lucas disse que não aguentava mais ver seu irmão Flávio “choramingando”. "Todo dia era um chororô no meu ouvido. Mas no dia da audiência, eu ia chegar e mostrar a carta com a assinatura dela (Flordelis) pro juiz", afirmou Lucas.

Aos policiais, Lucas relatou que havia guardado a carta original, que segundo ele foi escrita por sua mãe, mas Flávio teria rasgado o documento. Segundo os relatos do rapaz, o texto que ele deveria copiar chegou às suas mãos na semana anterior à reconstituição do crime, feita em 21 de setembro do ano passado. Lucas disse ter ouvido de seu irmão Flávio que a carta com a nova versão do crime ajudaria a "quebrar a reconstituição".

Ainda de acordo com informações do Extra, na carta, Lucas acusou dois outros irmãos — Wagner Andrade Pimenta, o Misael, e Alexander Felipe Matos Mendes, o Luan — de envolvimento na morte de Anderson. No texto, Lucas afirmou que Misael, na presença de Luan, lhe ofereceu vantagens para “dar um susto” no pastor. Ele relatou que pediu a um amigo para fazer o serviço. “O moleque já sabia o que ia fazer, mas deu ruim”, escreveu, justificando o fato de o pastor ter sido morto. Misael e Luan não tinham sido citados por qualquer outra testemunha como suspeitos de terem participado da morte do pastor Anderson.

Polícia investiga fraude

Lucas prestou depoimento no dia 17 de dezembro do ano passado após indícios de fraude na carta escrita por ele. O filho de Flordelis afirmou, em depoimento na Justiça, que não tinha sido o autor da carta, que foi apenas copiada por ele, conforme revelado pelo EXTRA.

Assassinato

O marido da deputada federal Flordelis (PSD) foi assassinado na madrugada deste domingo (16), em Pendotiba, Niterói. Segundo informações, Anderson Carmo foi executado por volta das 4h, com diversos tiros, pouco tempo após chegar em casa. Segundo o G1, uma equipe do 12º BPM foi acionada com a informação de uma tentativa de homicídio no local onde Anderson foi baleado. A vítima já havia sido socorrida pelos familiares e levada para o Hospital Niterói D’Or, em Santa Rosa, mas ela não resistiu aos ferimentos.