Foto: Reprodução
Uma decisão liminar da Justiça colocou em liberdade, na manhã deste domingo (14), o jovem Gabriel dos Santos Silva, 23 anos, que foi detido por guarnições da Polícia Militar no último dia 12, por ter sido apontado como suspeito de um roubo de um veículo na região do Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador. Gabriel estava em frente a uma agência da Caixa Econômica Federal, onde foi sacar o auxílio emergencial do governo federal.

O marido da vítima do assalto informou às guarnições as características do assaltante que levou o carro da esposa como preto, tatuado e de cabelo ‘loiro pivete’, e apontou Gabriel aos policiais. No entanto, Gabriel estava no celular no momento em que foi encontrado pela polícia e, por isso, foi confundido com o homem que receberia o dinheiro do resgate do veículo, conforme denunciou familiares.

O crime teria acontecido no dia 10 de junho, e a família de Gabriel informou que ele pintou o cabelo de ‘loiro pivete’ no dia 11, ou seja, um dia após o assalto.

Um dos amigos de Gabriel informou ao G1 que ele não sabe dirigir. "O Gabriel não tem nada a ver com isso. Ele foi preso por engano, porque segundo o marido da vítima, tinha características iguais ao suspeito, negro, cabelo loiro e tatuado. Não tinha nada no celular dele que comprove o crime, ele não sabe dirigir e as testemunhas que estavam no local não o reconheceram como o suspeito", disse.

Segundo informações dos familiares, Gabriel trabalhava como estoquista em uma loja de eletrodomésticos e não tem passagem pela polícia. Enquanto esteve preso ele não recebeu visitas da família e nem dos advogados que cuidam do caso. A família chegou a protestar em frente à Central de Flagrantes neste sábado (13) para chamar a atenção sobre o caso, que teve repercussão nas redes sociais e chegou a ficar nos trends topics do Twitter.