Foto: Reprodução

Uma mulher foi agredida por um policial militar no último sábado (6) em Teixeira de Freitas, extremo sul da Bahia. O vídeo da abordagem policial viralizou nas redes sociais.
Na imagem é possível ouvir um policial pedindo que o grupo de pessoas feche algo, uma mulher responde: "Fechar o quê? O piso está mole aqui, a gente está esperando secar para entrar. Nós terminamos de trabalhar agora. Em nota enviada ao BNews, a Polícia Militar informou que os policiais foram ao local por conta de uma denúncia de populares sobre aglomeração e som alto.
No vídeo, um dos policiais fala: "Tá bom, deixa isso quieto, que amanhã a gente resolve". Um rapaz volta a argumentar falando que o grupo tinha "acabado de trabalhar agora" e a mulher reclama de uma localidade da região que ficaria "cheia de gente e ninguém para lá". Após essa reclamação, a mulher fala: Vá pá po***, rapaz" e saí andando para dentro de casa. Nesse momento, um policial vai correndo atrás dela.
A filmagem volta e é possível ver o policial agredindo a mulher no sofá dentro de casa e familiares dela gritando. Um segundo policial aparece para ajudar o PM a levar a mulher para fora da casa. A PM informou que irá instaurar uma "sindicância para apurar o caso".
Veja a versão da PM explicando o ocorrido:
"De acordo com informações da 87ª CIPM, no dia 6 de junho, policiais militares da unidade foram acionados por populares para atender a uma denúncia de descumprimento a lei municipal, onde havia aglomeração e som alto na avenida Padre Anchieta, no bairro Liberdade II, em Teixeira de Freitas.
No local, a guarnição constatou o fato. Segundo relatório da unidade, havia uma aglomeração de pessoas, todas sem o uso de máscaras, ingerindo bebidas alcóolicas e o som em um volume muito alto. Os policiais solicitaram ao proprietário que desligasse o som e por isso foram hostilizados e desacatados, inclusive com o arremesso de uma pedra em direção à guarnição, neste momento foi dada voz de prisão e houve resistência por parte dos conduzidos, com a tentativa de tomar a arma de um dos policiais.
Os policiais solicitaram apoio de outras guarnições e os resistentes foram conduzidos a delegacia da cidade, onde foram autuados por resistência e desobediência. 
O comando da 87ª CIPM vai instaurar uma sindicância para apurar o caso".