Os testes da vacina ChAdOx1 nCoV-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford, na Inglaterra, começaram a ter início no último final de semana. O público alvo são profissionais de saúde de entre 18 e 55 anos. A Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) informou em nota na noite de segunda-feira (22).

A Fundação Lemann é a responsável por financiar o projeto. Os teste foram anunciados no início do mês e deverão contar, de acordo com a Unifesp, com 2 mil voluntários em São Paulo e com outros mil no Rio de Janeiro, onde os testes serão realizados pela Rede D’Or. 

A vacina, cujo pedido de testes no Brasil foi feito à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pela farmacêutica AstraZeneca, está atualmente na Fase 3 de testes, “o que significa que a vacina encontra-se entre os estágios mais avançados de desenvolvimento”, segundo a Unifesp.

O Brasil é o primeiro país a iniciar testes com a vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e um dos motivos que levaram à escolha foi o fato de a pandemia estar em ascensão no país.

Também está em envolvimento pela empresa chinesa Sinovac uma outra vacina contra a Covid-19, desenvolvida  deverá começar a ser testada no Brasil no mês que vem em parceria com o Instituto Butantan, vinculado ao governo do Estado de São Paulo. 

De acordo com o instituto, esse teste será financiado pelo governo paulista e deverá contar com 9 mil voluntários. Caso a vacina seja bem-sucedida, o acordo prevê a possibilidade ser produzida localmente pelo Butantan.

fonte o radar da Bahia