O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) decidiu aumentar o espaço do centrão no Poder Executivo e considera entregar mais cargos de primeiro escalão ao bloco partidário. Segundo a Folha, o chefe do Executivo avalia passar ao grupo político a liderança do governo na Câmara e até o comando do Ministério da Saúde em meio à pandemia do coronavírus.

Assessores do Palácio do Planalto dizem que o presidente reafirmou a intenção ontem (22), após a aprovação na Câmara da proposta que torna permanente o Fundeb, principal mecanismo de financiamento da educação básica no país. Bolsonaro teria se irritado com a atitude de seis deputados bolsonaristas do PSL que, mesmo após o governo mudar de opinião e passar a apoiar a proposta, votaram no primeiro turno contra o Fundeb, expondo uma fragilidade na articulação do Planalto e passando a impressão de derrota.

Ontem, a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) foi retirada da vice-liderança do governo no Congresso. Ela foi um votos contrários ao Fundeb.

metro1