O juiz federal americano Alvin Hellerstein rejeitou hoje uma proposta da defesa de Harvey Weinstein de acordo civil de US$ 18,9 milhões para mulheres que alegaram ter sido vítimas de abuso sexual e assédio pelo produtor cinematográfico em local de trabalho. 

Na decisão, o magistrado argumentou que a oferta da quantia é injusta, já que ela não diferenciaria cada vítima do produtor e impediria que elas continuassem com os processos na Justiça. Caso o acordo fosse aceito, seria posto um fim na ação coletiva por parte das pessoas que denunciaram. 

Harvey Weinstein foi acusado de abuso sexual por mais de 80 mulheres. Em razão dos crimes, em 2017, ele foi demitido da própria empresa, a Weinstein Company, e, em 2018, foi preso em Nova York. Seu julgamento foi iniciado em janeiro deste ano e, no mês seguinte, ele foi condenado a 25 anos de prisão. 

metro 1