Portal Notícias de Alagoinhas



O Vitória se posicionou sobre o afastamento do atacante Léo Ceará nesta quarta-feira (8). Em nota publicada no site oficial, o clube informou detalhes da negociação para renovação do contrato do atleta, que se encerra em dezembro deste ano, e explicou o que motivou a decisão de colocar o atleta para treinar separado do restante do elenco desde a última sexta-feira (3).


"O princípio deste afastamento é o da preservação do investimento que foi feito na sua formação nesses 10 anos. Primeiro, o clube, e depois, o time. Esperamos que sua família e seus representantes saibam medir o prejuízo para carreira de um atleta ficar parado por 10 meses, e damos conhecimento de como os fatos aconteceram. O atleta treinará no mesmo horário do grupo, assistido por profissional especializado, e está disponível para o mercado", diz um trecho da nota.


Vitória publica nota oficial sobre afastamento de Léo Ceará (Foto: Reprodução)
De acordo com o Vitória, foi oferecido 100% de aumento salarial e também reajuste em caso de acesso à Série A do Brasileiro ao atleta, que insiste em receber um valor de luvas, bonificação por assinatura do contrato comum no futebol. A nota oficial, no entanto, não está mais disponível no site rubro-negro. Procurado pela reportagem, o clube informou que a retirou, pois busca entendimento com o atleta. 


Em entrevista ao CORREIO na última segunda-feira (6), Léo Ceará revelou que o pagamento de luvas era o entrave da negociação. Revelado na Toca do Leão, o centroavante pode assinar um pré-contrato com outro clube desde o dia 1º. A lei permite fazer isso a seis meses ou menos do final do vínculo. 

Confira a seguir a nota oficial divulgada pelo Vitória na manhã desta quarta-feira:

Sobre o novo afastamento de Léo Ceará do grupo de atletas, o Esporte Clube Vitória tem a declarar:


1 – Depois das dificuldades iniciais para a renovação do atleta, que resultaram no primeiro afastamento, o Vitória se reuniu com os três representantes do atleta e sem a presença de Léo Ceará. As condições negociadas foram integralmente aprovadas, e os representantes ficaram de conversar com o atleta;

2- Aos representantes foi oferecido uma comissão adicional de 15% aos 15% que já faziam jus;

3 – O atleta insistia em receber um valor de luvas. O Vitória já tinha oferecido 100% de aumento do salário, apesar de estar na Série B, e com notórias dificuldades financeiras;


4- Procurando valorizar o atleta, que foi formado no clube, ainda ofereceu um reajuste significativo em caso de ascensão à 1ª Divisão. Nesse caso, o Vitória, excepcionalmente, incluiria um valor de luvas;

5 – Durante os meses que os atletas ficaram afastados, o departamento de futebol do Vitória, insistentemente, fazia contatos em busca de uma solução e não conseguiu;

6 – Fomos surpreendidos, infelizmente, com uma entrevista de um dos seus representantes a um canal de mídia, abordando assuntos que deviam ser tratados particularmente. O Vitória sempre buscando o entendimento, voltou a conversar com os representantes, e mais uma vez não conseguiu solução. Sendo assim, novamente e contra a vontade do clube, foi obrigado a afastar Léo Ceará dos treinamentos com o grupo de atletas profissionais;

7 – O princípio deste afastamento é o da preservação do investimento que foi feito na sua formação nesses 10 anos. Primeiro, o clube, e depois, o time. Esperamos que sua família e seus representantes saibam medir o prejuízo para carreira de um atleta ficar parado por 10 meses, e damos conhecimento de como os fatos aconteceram. O atleta treinará no mesmo horário do grupo, assistido por profissional especializado, e está disponível para o mercado.
correio da bahia