Os promotores do Ministério Público do Rio (MP-RJ) descobriram que o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), realizou a compra de dois apartamentos em Copacabana, no Rio de Janeiro, com pagamento em espécie. Mas, em depoimento, o filho do presidente Jair Bolsonaro disse que não se recorda de ter feito o pagamento em dinheiro vivo.

No mesmo dia em que a compra foi registrada em cartório, por R$ 310 mil, o vendedor dos imóveis efetuou ainda um depósito de R$ 638 mil em dinheiro vivo em um banco que fica a uma rua do cartório onde foi lavrada a escritura. 

Flávio é investigado no âmbito da "rachadinha" enquanto deputado estadual. Questionado pelo MP se a aquisição envolveu algum pagamento em dinheiro vivo, Flávio respondeu: “Que eu me recorde, não”, afirmou, referindo-se aos apartamentos em Copacabana. “Se eu não me engano, foi por transferência bancária esse sinal. Cheques. E, no dia, eu paguei as duas salas junto com a minha esposa no próprio cartório”, disse. 

RADAR DA BAHIA