A Justiça do Espírito Santo analisa a possibilidade de interromper a gestação de uma criança de 10 anos, que engravidou após ser estuprada. O tio é o suspeito de ter cometido o crime. A criança está no terceiro mês de gestação. A menina, caso tenha o filho fruto de um estupro, pode morrer.

O caso foi denunciado no último sábado (8), quando a menina deu entrada no Hospital Estadual Roberto Silvares acompanhada de um familiar informando ter sido vítima de estupro e estar grávida. No Brasil, o aborto é crime, mas só é permitido quando há risco de vida para a gestante e quando é fruto de estupro. Nesse caso, a garota está acobertada pelos dois casos. 

A menina, que era abusada pelo parente desde os seis anos de idade, está em um abrigo público, onde recebe suporte psicológico para lidar com o trauma. O tio dela está foragido desde a última terça-feira (12), foi indiciado pela polícia e tem um mandado de prisão aberto contra ele.

RADAR DA BAHIA