O Ministério Público Federal (MPF) ajuizou uma ação civil pública pedindo que o pastor Valdemiro Santiago e a Igreja Municipal do Poder de Deus paguem pelo menos R$ 300 mil de indenização por terem divulgado uma cura falsa da Covid-19.

O pastor evangélico vendeu sementes de feijão em seu canal no YouTube e afirmou que, se fossem cultivadas, elas curariam o coronavírus. Valdemiro chegou a citar o caso de um fiel cuja recuperação plena da doença usando os feijões estaria comprovada por um atestado médico. Ele chegava a cobrar R$ 1 mil pelas sementes. 

Para o Ministério Público, Santiago abusou da fé das pessoas para conseguir dinheiro. “No contexto em que foram proferidas as declarações resta evidente a prática abusiva da liberdade religiosa, na medida que incentiva os supostos fiéis ou interessados na aquisição das sementes de feijão, na crença de estarem curados, inclusive com o objetivo de angariar recursos financeiros dos fiéis”, diz o MPF
radar da bahia